O pessegueiro (Prunus persica) é uma árvore decídua, nativa da China e Sul da Ásia, com folhas alternas e serreadas. Possui inúmeras variedades hortícolas, sendo que a infusão de suas folhas e sementes é considerada calmante.

benefícios

  • Atua no fortalecimento do sistema imunológico.
  • Influência positiva na obesidade.
  • Efeitos cardioprotetores.
  • Retarda as alterações do envelhecimento precoce.

β-criptoxantina

carotenoide que apresenta atividade pró-vitamínica A, com efeitos na modulação do metabolismo de substâncias cancerígenas, inibição da proliferação celular, realce da diferenciação celular e estimulação da comunicação intercelular.

nutrientes

Violaxantina
β-caroteno
Fósforo
Magnésio
Potássio

pêssego desidratado

O pêssego pode ser desidratado em casa, de uma maneira simples, rápida e econômica. Deve-se selecionar as frutas em estado conservado, lavá-las adequadamente e cortá-las em pedaços. Após isso, colocar as frutas picadas em uma assadeira forrada com papel-manteiga e levar para assar em formo baixo, até que fiquem completamente desidratadas e secas. As frutas desidratadas concentram seus nutrientes e fibras.

informação nutricional

pessego_tabela_limao cópia 10

como consumir

Sucos | Desidratado | Compotas | Em receitas culinárias

tipos mais comuns

Pêssego
Prunus pérsica

Nectarina
Prunus persica
var. nucipersica

pêssego & nutrição

Demonstra-se em estudos que a β-criptoxantina tem efeito positivo na obesidade, com aumento significativo do índice de adiponectina, propiciando a perda de peso, e controlando sinais fisiológicos advindos da síndrome metabólica. A adiponectina aumentada melhora a resistência à insulina e o controle do perfil lipídico, minimizando o desenvolvimento de outras doenças crônicas e processos inflamatórios.

compartilhe esse conteúdo #DoBem com seus pacientes

referências

Ministério do Meio Ambiente. Brasília: 2008. Tabela Brasileira de Composição de Carotenoides em Alimentos. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf_agrobio/_publicacao/89_publicacao09032009113306.pdf>. Acesso em: 31 jan. 2017.
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Brasília: 2008. Tabela Brasileira de Composição de Carotenoides em Alimentos. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf_agrobio/_publicacao/89_publicacao09032009113306.pdf>. Acesso em: 31 jan. 2017.
NINOMIA, L.; GODOY, H. T. Comparison of the carotenoid composition and vitamin A value of hydroponic and conventionally produced leaf vegetables. Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 45, n. 3, p. 1598-1605, jul/sep., 2009.
BOEIRA, J.B; STRINGARI, G.B; LAURINDO, J.B Estudo da desidratação de pêssegos por Tratamento osmótico e secagem. B.CEPPA, Curitiba, v. 25, n. 1, p. 77-90, jan./jun. 2007
Universidade Federal de São Paulo. Tabela de Composição Química dos Alimentos.. Disponível em: <http://tabnut.dis.epm.br/index.php/alimento/09132/uva-rosa-ou-verdetipo-italia-crua>. Acesso em:  30 jan. 2017.
BURRI, B.J; LA FRANO, M.R.; ZHU. C.  Absorption, metabolism, and functions of β-cryptoxanthin. Nutr Ver., v. 74, n. 2, p. 69-82, Feb. 2016.