Semente de chia

A chia (Salvia hispanica L.) é uma semente utilizada há muito tempo pelos maias e astecas, como alimento para aumentar a resistência física. Essa semente é fonte natural de ácidos graxos ômega-3, fibras e proteínas, além de outros componentes nutricionais essenciais, como os antioxidantes. Oferece um potencial na indústria de alimentos devido aos seus componentes funcionais, agregando benefícios para a saúde de diferentes formas, principalmente por conta do ômega-3 que atua como anti-inflamatório e contribui para proteção cardiovascular.

Semente de linhaça

A linhaça (Linun usitatissimun L.) é o alimento de origem vegetal mais rico em ácidos graxos ômega-3, apresentando também quantidades elevadas de fibras, proteínas e compostos fenólicos. Existem duas variedades de linhaça para consumo, a linhaça marrom e a linhaça dourada. Possui três componentes que apresentam ações importantes no corpo, como o ômega-3 (ácido linolênico), fibras solúveis e lignanas.

A lignana é caracterizada por sua estrutura semelhante ao estrogênio – hormônio feminino, exercendo assim diferentes ações como bloqueador de enzimas envolvidas no metabolismo hormonal e interferindo no crescimento e metástase de células cancerígenas, além de possuir alta atividade antioxidante e controle dos sintomas da menopausa.

Mamão

O mamão é uma fruta alaranjada, com alta concentração nutricional e apresenta duas enzimas em sua composição consideradas proteolíticas (quebram proteínas): papaína e fibrina, ambas com capacidade de auxiliar no processo digestivo, principalmente de alimentos proteicos. É rico em beta-caroteno. β-criptoxantina, vitamina C, polifenois, fibras insolúveis e licopeno, que apesar de não apresentar função pró-vitamínica, é considerado o carotenoide que dispõe da maior capacidade antioxidante, capaz de proteger as moléculas de lipídeos, proteínas e DNA contra os radicais livres. Dentre seus benefícios, destacam-se:

– Potente ação antioxidante.
– Auxilia no funcionamento intestinal.
– Promove a saúde ocular.
– Previne doenças cardiovasculares.

Banana

A banana é uma fruta que tem alto teor de triptofano, um aminoácido que induz à produção de serotonina no cérebro, aumentando a sensação de bem-estar. A ingestão em doses moderadas da fruta vem sido atribuídas à sua contribuição para aliviar os sintomas decorrentes da depressão. Além disso, possui boa concentração de potássio, fósforo, magnésio, carotenoides e amido resistente, uma forma de amido não digerido e absorvido no intestino delgado que atua como fibras alimentares e possui propriedade funcional sistêmica ou local.

Morango

O morango é uma fruta apreciada pela maioria das pessoas e possui alta qualidade nutricional. Dentre os compostos bioativos, destacam-se a quercetina, o ácido elágico, as antocianinas, a vitamina C e os polifenois, capazes de promover efeitos na atenuação de processos inflamatórios, principalmente quando há ingestão exagerada de gordura na dieta. Assim, auxilia na saúde cardiovascular e contribui com a redução do estresse oxidativo.

Maracujá

O maracujá é uma fruta com alta concentração de nutrientes e composto bioativos com propriedade funcionais. Dentre eles, destacam-se a fibra solúvel pectina, vitamina C, o betacaroteno e o carotenoide criptoxantina – um tipo de carotenoide, conhecido pelas suas propriedades antioxidantes, que contribui para reduzir o estresse oxidativo e os danos celulares provocados pelos radicais livres, além de ser considerado um precursor da vitamina A. Suas sementes auxiliam no funcionamento intestinal. Confere outros benefícios para o corpo:

– Otimização da produção de energia pelas células.
– Auxilia na prevenção de doenças crônicas.
– Contribui na prevenção do envelhecimento celular precoce.
– Possui efeito calmante.

Framboesa

As framboesas vermelhas (Rubus idaeus L.) possuem diversos micronutrientes essenciais, fibras alimentares e componentes polifenólicos, especialmente as antocianinas que conferem sua coloração vermelha característica. Esses compostos podem contribuir para prevenção do envelhecimento precoce das células, além de possuírem efeito cardioprotetor, modulador da glicemia e equilíbrio metabólico na obesidade e doenças crônicas.

REFERÊNCIAS

GOYAL, A. et al. Flax and flaxseed oil: an ancient medicine & modern functional food. J Food Sci Technol., v. 51, n. 9, p. 1633-1653, sep. 2014.

LEYVA, D. et al. The cardiovascular effects of flaxseed and its omega-3 fatty acid, alpha-linolenic acid. Can J Cardiol., v. 26, n. 9, p. 489-496, Nov. 2010.

ULLAH, R. et. al. Nutritional and therapeutic perspectives of Chia (Salvia hispanica L.): a review. J Food Sci Technol., v. 53, n. 4, p. 1750-1758, apr. 2016.

PERUCHA, V.R., Propriedades funcionais da banana verde. Nutrição, Saúde e Performance – Anuário de alimentos funcionais. Edição 26: São Paulo, 2005.

AMORIM, E. P.; et al. Caracterização de acessos de bananeira com base na concentração de compostos funcionais. Ciência Rural, Santa Maria, n. 3, v. 41, p. 592-598, 2011.

REIS, R. et al.  Compostos bioativos e atividade antioxidante de variedades melhoradas de mamão. Ciência Rural, Santa Rita, Online, nov. 2015.

DHAWAN, K.; SHARMA, A. Review. Passiflora: a review update. Journal of Ethnopharmacology, Lausanne, v. 94, p. 1-23, 2004.

SILVA, Sandra Regina da; MERCADANTE, Adriana Z. Composição de carotenóides de maracujá-amarelo (Passiflora edulis flavicarpa) in natura. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, v. 22, n. 3, p. 254-258,  Dec. 2002.

ROCHA, D. et al. Análise comparativa de nutrientes funcionais em morangos de diferentes cultivares da região de Lavras-MG. Rev. Bras. Frutic., v. 30, n. 4, p. 1124-1128, dez. 2008.

BASU, A. et al. Strawberry as a functional food: an evidence-based review. Crit Rev Food Sci Nutr., v. 54, n. 6, p. 790-806, 2014.

FREEMAN, B; SANDHU, A; EDIRISINGHE, I. Red Raspberries and Their Bioactive Polyphenols: Cardiometabolic and Neuronal Health Links. Adv Nutr., v. 15, n. 7, p. 44-65, jan. 2016.