Cacau

O cacau (Theobroma cacao L.) é evidenciado pelo seu sabor característico, pelas propriedades funcionais e pela alta densidade nutritiva. Quando comparado a outros alimentos de origem vegetal, o cacau apresenta maiores quantidades de compostos fenólicos e capacidade antioxidante. Dentre os compostos presentes na semente do cacau, destacam-se os flavonoides, procianidinas, quercetina, antocianinas, flavonas, catequinas e epicatequinas.

A atividade antioxidante é a principal desencadeada pelos seus compostos bioativos, contudo, outras ações também são atribuídas: as procianidinas agem como potentes inibidores de inflamações agudas, os flavonoides, juntamente com as procianidinas, contribuem para a diminuição de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral, relacionando-se com a redução da agregação plaquetária e os processos inflamatórios, além de contribuir para a diminuição da pressão arterial.

Além disso, as concentrações de metilxantinas, em destaque a teobromina e cafeína no cacau, podem exercer múltiplos benefícios, principalmente como estimulante do sistema nervoso central. O consumo de cacau ainda pode influenciar de maneira positiva o controle do estresse, isso porque é fonte de triptofano, aminoácido precursor da síntese de serotonina, neurotransmissor associado à sensação de bem-estar.

Café A cafeína é o principal componente presente no café, que tem a capacidade em aumentar a queima de gordura corporal, a termogênese celular (aumento do metabolismo), a ação do hormônio adrenalina e a secreção de insulina, dessa forma, reduzindo o acúmulo de gordura corporal e modulando a sensibilidade à insulina. Além disso, também pode afetar a ação de hormônios ligados ao apetite, diminuindo a sensação de fome, efeito importante para controle da ingestão alimentar. Além disso, o café também é fonte de polifenois, apresentando ação antioxidante, o que contribui para o manejo da inflamação. A exemplo disso, destaca-se as catequinas que são efetivas para potencializar a oxidação lipídica e atuar no metabolismo de lipídeos.

 

Açúcar demerara

O açúcar demerara passa por um processo simples de refinamento, e não recebe nenhum aditivo químico, apresentando-se com coloração marrom-clara e grãos maiores. Por não passar por processamento químico, ele concentra maior teor nutricional, como sais minerais, quando comparado ao açúcar comum.

REFERÊNCIAS

GREENBERG, J. A. et al. Epicatechin, procyanidins, cocoa, and appetite: a randomized controlled trial. Am J Clin Nutr., Bethesda, v. 104, n. 3, p. 613-609, 2016.

KATZ, D. L.; DOUGHTY, K.; ALI, A. Cocoa and chocolate in human health and disease. Antioxid Redox Signal., Larchmont, v. 15, n. 10, p. 2779-2811, 2011.

LATIF, R. Health benefits of cocoa. Curr Opin Clin Nutr Metab Care., London, v. 16, n. 6, p. 669-674, 2013.

MASSEE, L. A. et al. The acute and sub-chronic effects of cocoa flavanols on mood, cognitive and cardiovascular health in young healthy adults: a randomized, controlled trial. Front Pharmacol., Lausanne, v. 6, n. 93, p. 1-26, 2015.

ABRAHÃO, Sheila Andrade et al. Compostos bioativos e atividade antioxidante do café (Coffea arabica L.). Ciência e Agrotecnologia, [s.l.], v. 34, n. 2, p.414-420, abr. 2010.

BASPINAR, B.; ESKICI, G.; OZCELIK, A. How coffee affects metabolic syndrome and its components. Food & Function, [s.l.], v. 8, n. 6, p.2089-2101, 2017.

GROSSO, Giuseppe et al. Coffee, Caffeine, and Health Outcomes: An Umbrella Review. Annual Review Of Nutrition, [s.l.], v. 37, n. 1, p.131-156, 21 ago. 2017.

SINGH, A. et al. Phytochemical profile of sugarcane and its potential health aspects. Pharmacogn Rev. 2015 Jan-Jun; 9(17): 45–54.